AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

O “velhinho” Centro Recreativo Murtoense vai ganhar nova vida

Região

É considerado um dos espaços culturais mais icónicos da Murtosa mas reclamava obras de recuperação. O edifício do Centro Recreativo Murtoense vai ser reabilitado e a câmara municipal já tem planos para o seu futuro: o imóvel será alocado às dinâmicas culturais e formativas do município.

O histórico imóvel foi mandado construir pela direção do Centro Recreativo Murtoense para sua sede e para teatro-clube, em 1929. O projeto foi idealizado por J. Villar, tendo o espaço sido inaugurado no dia 27 de setembro de 1931.

Atualmente propriedade da autarquia, o edifício irá ser alvo de uma empreitada em 539.344 euros, que visa dotá-lo de “melhores condições de funcionamento, recuperando as caraterísticas essenciais do imóvel, através da eliminação ou correção um conjunto de alterações que lhe foram sendo introduzidas ao longo dos anos”, realça a edilidade.

Uma das ações previstas prende-se com a recuperação da tela, que encima o palco da sala de espetáculos, sobre a temática da “Arte Xávega”, pintada, em 1950, pelo conceituado artista plástico murtoseiro Dimas Macedo, já falecido, naquele que foi, provavelmente, um dos primeiros testemunhos artísticos públicos do criador.

A câmara municipal da Murtosa, na qualidade de entidade proprietária e gestora do espaço, quer manter o edifício na esfera do serviço público, através da sua alocação ao desenvolvimento das políticas culturais e formativas da autarquia, possibilitando, ao mesmo tempo, que a coletividade aí instalada continue a desenvolver a sua atividade.

Após a reabilitação, a sala passará, também, a integrar a rede de formação artística para as crianças e jovens do concelho, alargando o espetro de disciplinas oferecidas já hoje, pela Oficina de Artes. Pretende-se, desta forma, distribuir por um conjunto de espaços municipais reabilitados a panóplia de disciplinas artísticas, “especializando”, de certa forma, cada um dos imóveis, através da criação de condições técnicas para o acolhimento das valências respetivas, como já acontece atualmente com a música e a pintura na Oficina de Artes.

Campus Jazz Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.