AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

No Museu das Duas Rodas, conta-se a história da bicicleta e da motorizada

Artes

Já abriu ao público o Museu das Duas Rodas, instalado no Centro de Alto Rendimento/Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia. O novo núcleo museológico conta a história da bicicleta e da motorizada e valoriza a importância de uma indústria que teve (e continua a ter) expressão muito significativa naquele concelho.

Trata-se de um museu “único no país”, onde estão expostas bicicletas que remontam ao século XIX e outras mais modernas, assim como uma coleção de motorizadas, das mais imaculadas às mais ferrugentas, e ainda várias peças e acessórios (alguns deles, autênticas raridades) que marcaram a história das duas rodas a nível local e nacional. O espaço conta igualmente com um importante espólio documental e fotográfico.

Apesar de ter sido idealizado no anterior mandato, só agora este projeto pôde ver a luz do dia. De acordo com Maria Teresa Cardoso, presidente da câmara municipal de Anadia, o Museu das Duas Rodas representa um investimento superior a 750 mil euros, totalmente suportado pelo município. A meta é transformar o espaço num “ponto de interesse turístico apreciado por amantes do ciclismo, atletas que se desloquem ao velódromo e simples curiosos”, afirma a autarca.

O Museu das Duas Rodas é um espaço dinâmico e interativo, com ferramentas inovadoras, conteúdos e jogos multimédia e simuladores que põem os visitantes a pedalar. A vastidão do espólio doado ou cedido por colecionadores particulares, empresas e famílias de alguns atletas campeões, associada à escassez de espaço disponível, acabou por impedir a exposição de todos os artigos recebidos. “Há várias dezenas de peças para mostrar que ainda não estão em exposição”, reconhece Teresa Cardoso, assumindo a ambição de que aquele equipamento possa adquirir uma dinâmica que lhe permita “ir crescendo e se renovando, para que as pessoas que vêm hoje voltem amanhã”.

O novo espaço cultural surge associado ao complexo desportivo – o Centro de Alto Rendimento/Velódromo Nacional – que, há 12 anos, traz a Anadia atletas de todo o mundo.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, presente no velódromo, recordou que, em 2019, as pistas de BMX e XCO (Cross Country Olímpico) - esta última, localizada na Curia – vieram reforçar o compromisso do concelho de Anadia para com a promoção do ciclismo e das modalidades que dele derivam. O conjunto destas infraestruturas valeu ao velódromo a certificação de centro satélite da UCI - União Ciclista Internacional – para o continente europeu, um “reconhecimento da excelência do que aqui se faz”, disse João Paulo Rebelo.

Para o secretário de Estado, com o Museu das Duas Rodas, “Anadia honra a história do ciclismo e do motociclismo e inspira os atletas que por aqui passarem, aqui poderão conhecer grandes figuras da modalidade a nível local e nacional”.

“Não temos dúvidas que o setor das duas rodas, além de um passado próspero, tem um presente admirável e, perspetiva-se, terá um futuro muito positivo”, reforçou Teresa Cardoso. A presidente da câmara de Anadia deixou elogios ao setor por ter sabido “acompanhar a evolução dos tempos com perícia, inteligência e visão” e por continuar “ativo e cada vez mais moderno, eficiente e forte”, capaz de fazer face às novas exigências tecnológicas e de conforto, bem como às preocupações ecológicas dos consumidores.

Também Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, fez referência a “um setor de atividade que contrariou todas as tendências e soube crescer num momento de crise e paralisia quase generalizada”. “A produção, comercialização e reparação de bicicletas e motorizadas nunca parou, pelo que os empresários que pedalaram, criando postos de trabalho e novos negócios, merecem todo o respeito e reconhecimento. São eles os ‘camisola amarela’ desta corrida”, acrescentou a ministra.

O município de Anadia aproveitou o momento de inauguração do museu para homenagear as empresas locais ligadas ao setor das duas rodas (produção, comercialização e reparação), atribuindo-lhes reconhecimentos por mérito. A Federação Portuguesa de Ciclismo, instituição residente naquele centro de alto rendimento e “impulsionadora do velódromo nacional como viveiro de campeões”, também foi distinguida.

Numa mensagem em vídeo enviada ao município de Anadia e reproduzida aquando da inauguração, o Presidente da República sublinhou a importância da bicicleta na atualidade, salientando o “mérito” e a “capacidade de antevisão” da comunidade de Anadia que “sempre cultivou uma grande dedicação ao ciclismo e ao papel da bicicleta no desporto e na vida”. Marcelo Rebelo de Sousa prometeu uma visita ao Museu das Duas Rodas para breve.

O Museu das Duas Rodas está, a partir de hoje, aberto ao público, prevendo-se um total de seis visitas diárias.

*Fotos:Afonso Ré Lau

Campus Jazz Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.