AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Simulador da UA desvenda comportamento dos condutores

Sociedade

Os condutores portugueses sentem-se mais confortáveis a conduzir os seus veículos em autoestrada do que em ambientes urbanos, onde têm pior desempenho em termos ambientais. Esta é uma das conclusões de um estudo do Departamento de Engenharia Mecânica (DEM) da Universidade de Aveiro (UA) que utilizou um simulador de condução para tirar o retrato aos condutores portugueses e educá-los para uma condução mais segura e ecológica.

Segundo dados da Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária, entre janeiro e dezembro de 2021 registaram-se 30.691 acidentes com vítimas em Portugal, dos quais resultaram 401 vítimas mortais, 2.297 feridos graves e 35.877 feridos leves. O tipo de infração mais frequente foi o excesso de velocidade, sendo uma das principais causas de acidente o comportamento do condutor.

Numa tentativa de estudar padrões de condução, uma equipa de investigadores da UA efetuou uma investigação que avalia o comportamento do condutor através da definição de casos de estudo com recurso a um simulador de condução pertencente ao Centro de Tecnologia Mecânica e Automação (TEMA) do DEM, onde vários participantes realizaram testes de condução em diferentes cenários. Os voluntários foram convidados a utilizar um smartwatch para registo de dados relativos à frequência cardíaca para análise a stress durante a condução. No total, a investigação contou com um total de mais de 42 mil segundos de dados obtidos.

Esta investigação, no âmbito de uma dissertação de mestrado, foi orientada pelas investigadoras Eloisa Macedo e Margarida Coelho, do TEMA, e deu origem à publicação de um artigo científico na conferência internacional TIS Roma 2022. Este trabalho tem ainda como objetivo o apoio na elaboração de políticas de segurança rodoviária e na sensibilização do condutor, através de medidas para reduzir a volatilidade da condução, a agressividade nas manobras e a emissão de poluentes durante a condução.

Segundo Margarida Coelho, diretora do mestrado em Mobilidade Inteligente e coordenadora da equipa que desenvolve investigação neste domínio no DEM, esta investigação permitiu realizar múltiplas abordagens. Em particular, analisou-se a correlação do comportamento do condutor (nomeadamente, a agressividade durante a condução) com os impactes do ponto de vista de segurança e emissões. Foram igualmente comparados diferentes ambientes de condução (urbano, estrada nacional e autoestrada), com particular atenção a singularidades da via (lombas, semáforos, passadeiras, entre outras).

Os resultados da investigação indicam que os condutores se sentem mais confortáveis a conduzir o seu veículo em autoestradas do que em ambientes urbanos, onde têm pior desempenho em termos ambientais. Para além disso, os participantes demonstraram apresentar reações similares às mesmas situações, mesmo tendo estilos de condução diferentes. Em particular, a análise das singularidades indicou que sinais de paragem, lombas e situações imprevisíveis como animais ou peões a atravessar a estrada (fora da passadeira) estão normalmente associadas a acelerações e travagens bruscas e são condições que estão associadas a elevadas emissões de poluentes.

“A indústria automóvel tem vindo a lançar veículos com consumos de combustível, emissões de Dióxido de Carbono e emissões de gases poluentes cada vez menores, mas os condutores têm um papel muitíssimo relevante (através do seu comportamento na estrada) na redução da emissão de gases e na promoção de uma maior segurança rodoviária”, aponta Margarida Coelho. “A antecipação das decisões, o cumprimento dos limites de velocidade, uma condução suave a uma velocidade o mais constante possível, evitando acelerações/desacelerações e travagens bruscas são algumas das formas de desenvolver uma ecocondução”, diz a investigadora.

Festa Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.