AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Pedro Burmester sobe ao palco do FIMUV 2022

Artes

Para um dos recitais mais aguardados do FIMUV – Festival Internacional de Música de Paços de Brandão, e que está agendado para o próximo sábado (21h30, Academia de Paços de Brandão), o pianista Pedro Burmester escolheu obras marcantes de Bernardo Sassetti, escritas para cinema, e também composições emblemáticas de Chopin e Liszt, ícones musicais do romantismo. O repertório deste concerto de entrada livre inclui peças de outras referências da história da música, mas todas elas servirão apenas para realçar o virtuosismo do intérprete que vem inspirando diferentes gerações de músicos e melómanos.

A obra do compositor Bernardo Sassetti marcará grande parte do concerto. “Escolhi ‘Noite’, do filme ‘Alice’, assim como ‘I left my heart in Algândaros de Baixo’ e ‘Simplesmente Maria’, que abrirão o recital”, revela Pedro Burmester. Seguir-se-á, a Segunda Partita em Dó Menor de Bach e depois a Terceira Sonata de Fernando Lopes Graça, que, segundo o pianista, “será, juntamente com Emanuel Nunes, o maior compositor português do século XX”.

As duas últimas obras a interpretar por Burmester no recital do próximo sábado serão da autoria de Chopin e Liszt, que o músico define como “os dois grandes compositores do romantismo para piano”. No primeiro caso, a escolha recairá assim sobre o Scherzo Número 3 e, no que se refere a Liszt, a seleção para o concerto privilegiou a Balada Número 2.

Pedro Burmester considera que essas são obras ajustadas a um espetáculo que marca o regresso da atividade cultural plena após “dois anos difíceis para todos, em geral, e para quem promovia e organizava concertos, em particular”. É certo que o FIMUV não suspendeu nenhuma edição em 45 anos de vida e que, mesmo no contexto da pandemia de covid-19, conseguiu manter a sua periodicidade ininterrupta e proporcionar ao público um cartaz completo, mas tanto o pianista convidado para 2022 como os organizadores do evento concordam que, este ano, certame e público beneficiarão de uma experiência que retoma a sua liberdade, num formato isento de condicionantes sanitárias e de restrições à lotação.

Currículo com condecorações

Pedro Burmester nasceu no Porto em 1963 e aos 10 anos de idade já dava o seu primeiro recital. Foi aluno de Helena Costa durante uma década e mais tarde aperfeiçoou os estudos nos Estados Unidos, aprendendo com Sequeira Costa, Léon Fleisher e Dimitri Paperno.

Como intérprete, atuou em palcos como o centro cultural "92nd Y" de Nova Iorque e a Salle Gaveau de Paris. Atuou em festivais como o de Belfast e o da Radio France Occitanie Montpellier, e deu recitais em rádios como a de Bremen e a WDR de Colónia. Foi convidado por Heinrich Schiff para acompanhar a Northern Orchestra e atuou igualmente com outros coletivos, entre os quais a Orquestra Sinfónica de Londres, a Orquestra de Liège, a Orquestra do Théâtre Royal de la Monnaie em Bruxelas, a Filarmónica de Zagreb, a Australian Chamber Orchestra, a Filarmónica de Roterdão e a Sinfónica de Varsóvia.

Graças à colaboração com esses coletivos, Burmester já partilhou os palcos com mais de 50 maestros, incluindo Joana Carneiro, Franz Bruggen, Gianadrea Noseda, Paavo Jarvi, Jan Latham Konig, Georg Solti, Leon Fleisher, Muhai Tang, Lothar Zagrosek, Peter Csaba, Josep Caballé Domenech, Martin André, Michael Zilm, Frans Bruggen, Leopold Hager, Baldur Bronnimann e Peter Rundel.

Em Portugal, a biografia de Pedro Burmester refere que “foi solista com praticamente todas as orquestras e formações de música de câmara”, tendo atuado com Mário Laginha, António Saiote, Gerardo Ribeiro e Paulo Gaio Lima. Quanto a artistas de outras nacionalidades, destacam-se as suas parcerias com Anner Bylsma, Augustin Dumay, Thomas Zehetmair, o Quarteto Prazak e o Tokyo String Quartette, entre outros.

Desde 1989, Burmester dá formação regular em masterclasses e seminários em diversos estabelecimentos de ensino, como o Conservatório de Música do Porto, a Academia de Música de Espinho e as instituições que organizam o Curso Internacional de Música do Estoril, o Porto PianoFest, o Festival Internacional de Campos de Jordão, no Brasil, e o IKFEM - Festival do Teclado de la Eurociudad de Tui, em Espanha.

Entre Janeiro de 2000 e Julho de 2003, o pianista interrompeu quase por completo a atividade de docência, para integrar a Comissão Executiva do Conselho de Administração da Casa da Música - Porto 2001, S.A., onde ficou responsável pela área da Programação Musical. De 2006 a 2008 exerceu funções de Diretor Artístico e de Educação na Fundação Casa da Música e desde 2010 é professor de Piano e Música de Câmara na ESMAE - Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto.

Quanto a prémios, Pedro Burmester ganhou em 1983 o 2° lugar no Concurso Internacional de Música Viana da Motta, em classificação ex-aequo com o francês Florent Boffard, e seis anos depois recebeu o prémio especial do Concurso Internacional de Piano Cliburn, nos Estados Unidos. Posteriormente, arrecadou ainda o Prémio Moreira de Sá, venceu a medalha de prata do Concurso Internacional de Piano Robert Schumann e foi duas vezes condecorado pela Presidência da República Portuguesa: uma com o Grau de Cavaleiro da Ordem de Santiago de Espada, por Mário Soares, e outra com o Grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, por Jorge Sampaio.

* Créditos da foto: Rita Carmo
Feira do Livro Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.